Posts Tagged ‘Meio Ambiente’

IPIAÚ: PRESERVAÇÃO DE ESPÉCIES NATIVAS DA MATA ATLÂNTICA É DESTAQUE NACIONAL

O trabalho de preservação do jequitibá no sul da Bahia foi mostrado no programa Globo Rural, da Rede Globo. Equipe de reportagem da emissora visitou fazendas em Ipiaú e Ubatã, onde a Ceplac e o Instituto Cabruca fizeram cadastro das árvores, etapa inicial de georreferenciamento das plantas nativas da região.

O trabalho busca preservar espécies nativas da Mata Atlântica ameaçadas de extinção. “Além da sua importância para a lavoura, porque consegue compensar a falta de chuva, [o jequitibá] recicla nutrientes e contribui com matéria orgânica, as árvores da cabruca podem agregar valor à produção quando se observa a roça como um espaço produtivo”, afirma Durval Libânio, do Instituto Cabruca.

Os idealizadores do projeto também buscam tornar o trabalho referência para a tentativa de tornar o jequitibá patrimônio natural, cultura e paisagístico do sul da Bahia. Nessa linha, a Ceplac, órgão federal da agropecuária, já desenvolve na região cacaueira sul-baiana o projeto Conservação Produtiva. Com informações do Pimenta na Muqueca.

IPIAÚ: CAPIVARA AGREDIDA FOI ENCAMINHADA PARA VITÓRIA DA CONQUISTA

Por José Américo

O Grupo Ecológico Papamel acionou o IMA (Instituto de Meio Ambiente) para que fosse encaminhada até o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETA), em Vitória da Conquista, uma capivara vítima de um ataque brutal na tarde do último domingo(17/06), quando pastava em uma das Ilhas do Rio das Contas, próxima à ponte que liga Ipiaú ao Distrito de Japumerim, Município de Itagibá.

O animal foi atingido por uma pedra de aproximadamente 30 Kg, jogada de cima da ponte por um homem até então não identificado. Ao presenciarem a agressão alguns populares acionaram a Polícia Militar, enquanto o agressor tomava rumo ignorado. O ataque resultou numa fratura da coluna vertebral do bicho que ficou praticamente imobilizado. Apenas move os membros traseiros e a cabeça.

A ação imediata da Policia Militar foi providencia para que o animal, uma fêmea pesando cerca de 60Kg, não morresse.

Após resgatar o bicho, os policiais o conduziram até uma área de propriedade do Papamel onde recebeu os primeiros socorros. Na tarde da última segunda-feira(18/06), a capivara foi encaminhada pelo IMA até o CETA de Vitória da Conquista onde será submetida a tratamento adequado e permanecerá por tempo indeterminado até a sua recuperação.

Caminhão com madeira apreendido em Ubaitaba

http://www.jornaltribunadaregiao.com.br/fotos/22_11_caminhao-apreendido02.jpg

Um caminhão de placa policial JUL-65l5 da cidade de Gandú carregado com madeira de lei proveniente da Mata Atlântica, foi apreendido na região da fazenda Batalha, na divisa dos municípios de Gongogi e Ubatã na ultima quinta-feira (19). A operação foi comandada pela equipe da Gerência do Meio Ambiente de Ubaitaba em parceria com a Policia Militar de Gongogí e Ubatã.

O grupo formado por oito pessoas ao perceber a presença da policia fugiu abandonando o caminhão carregado de pranchas de jequitibá, cedro e outras espécies de madeira nobres em extinção.

O caminhão foi conduzido por um policial ate a delegacia de Ubatã e depois levado para Ubaitaba, onde a Gerência Municipal do Meio-Ambiente vai destinar a madeira para programas sociais de recuperação de moradias.

De acordo com o funcionário do órgão ambiental Mauricio Costa, a carga apreendida está avaliada em mais de R$ 12 mil reais e essa ação foi mais um golpe duro contra quem vive da degradação da Mata Atlântica.

A gerência do Meio Ambiente vem intensificando a fiscalização no município após a aquisição de um veículo que vai facilitar o acesso dos fiscais a vários pontos da cidade principalmente no problema da poluição sonora que vem tirando o sono da população.

[As informações são do Jornal Tribuna da Região]

PAPAMEL participa de reunião com representantes do território Médio Rio das Contas

http://www.noticiasdeipiau.com/wp-content/uploads/PAPAMEL.jpg

Nesta quinta-feira (01/07), o coordenador do Grupo Humanista PAPAMEL, Fredi Siqueira, juntamente com o conselheiro titular da entidade no CEPRAM, Agnaildo Novaes, estiveram participando na cidade de Itamari-BA da primeira reunião ordinária do Conselho do Território de Identidade do Médio Rio das Contas. Tendo como pauta as ações do P.A.A- Programa de aquisição de alimentos. Foi formada uma comissão que deverá fiscalizar as devidas aplicações do 30% que vem para os municípios aplicarem na aquisição de produtos alimentícios produzidos pelos agricultores do Médio Rio das Contas.

Assessoria de Comunicação do PAPAMEL

Papamel realiza mutirão de limpeza

http://www.noticiasdeipiau.com/wp-content/uploads/P1010130-300x224.jpg

Neste domingo (04/07), os membros do Grupo Humanista Papamel juntamente com os componentes da entidade ADERIC, estiveram realizando um mutirão de limpeza nas margens do Rio das Contas.

Os ambientalistas iniciaram a jornada em um ponto conhecido “beco do dez quarto” e puderam identificar o total abandono que o rio está passando. Garrafas de refrigerante, sandálias, bolas, potes de margarida, dentre outros derivados do plástico foram facilmente encontrados.

É preciso que os órgãos públicos se manifestem e lutem conosco para que juntos possamos salvar o planeta.

Assessoria de Comunicação do PAPAMEL

PAPAMEL realizará mutirão de limpeza do Rio das Contas

http://img19.imageshack.us/img19/962/papan.gif

A coordenação do Grupo Humanista PAPAMEL, convida todos seus membros e comunidade em geral, para participarem de um grande mutirão de limpeza do Rio das Contas que se realizará no dia 04/07 às 8 h da manhã. O mutirão tem como objetivo a recuperação e preservação do Rio das Contas e seus afluentes, através de ações práticas e teóricas, dentro dos princípios da educação ambiental, tais como plantios de mata ciliar, além de ações de sensibilização das autoridades e empresas para a implantação de sistemas de esgotamento sanitário e de tratamento de efluentes. Participe!

ASCOM- Assessoria de Comunicação do Grupo Humanista PAPAMEL

Garrafas servem de matéria-prima para moradias na América Latina

http://i0.ig.com/fw/4l/o9/a4/4lo9a47yokeqbgod5o4qqd8sa.jpg

Garrafas de vidro e plástico de 600 mililitros, de um e dois litros, terra, sangue de gado, cimento, cal, areia, pilhas, cola, sedimentos, resíduos orgânicos, aros e glicose se transformam na mistura ideal para dar vida aos novos lares. Estas recebem a denominação de “casas ecológicas” porque além de reciclar os resíduos inorgânicos são elaboradas quase na sua totalidade com elementos naturais que não causam danos ao meio ambiente.

“Casas de Botellas” é um esforço conjunto em que as famílias mais pobres apoiadas por amigos, parentes, vizinhos e voluntários aprendem a colaborar com seu entorno mediante a construção de suas próprias casas, “mas, sobretudo, constroem um lugar mais digno para viver”, disse à Agência Efe Ingrid.

O projeto começou em Warnes, seu povoado natal, quando uma menina da comunidade, Claudia, comentou que queria de presente de natal um quarto para poder dormir sozinha, já que ela compartilhava a casa de quatro metros quadrados com outras cinco pessoas. “Anteriormente, as garrafas que eu guardava em minha casa as utilizava para fazer artesanatos e cadeiras, mas nunca pensei em fazer algo maior. Só quando meu marido ameaçou tirá-las e nessa mesma tarde escutei Claudia, tive a ideia de que poderia construir casas com esses objetos”, assegurou Diez.

A moradia erguida por Ingrid em colaboração com a família de Claudia, além de pessoas da comunidade e voluntários, foi ampliada de quatro para 170 metros quadrados e nela foram utilizadas 36 mil garrafas de plástico de dois litros. O normal é utilizar a cada metro quadrado aproximadamente 81 garrafas recheadas com materiais descartáveis como papel, sacolas plásticas, pilhas, areia e terra para levantar as paredes.

Um aglomerado de garrafas de vidro e plástico entrelaçado com mel, areia, resíduos, azeite de linhaça e leite podem se transformar em imóveis para famílias pobres na América Latina. “Casas de Botellas” (casas de garrafas, em tradução livre) é o nome do projeto idealizado há quase sete anos pela boliviana Ingrid Vaca Diez, com a finalidade de oferecer aos mais necessitados a possibilidade de obter e elaborar com seus próprios recursos um lugar digno para viver.
As garrafas são unidas como tijolo, cal e cimento. Depois, as mesmas são amarradas para garantir completamente a solidez da construção. Outros materiais como madeiras, telhas, divisórias, vidros para as janelas, azulejos, marcos de madeira e móveis para os banheiros e a cozinha, são doados por empresas, particulares e instituições. O toque final das casas é dado com pintura colorida das colunas e dos muros, e a base das garrafas que fica sutilmente à vista, que são pintadas em formato de flor. As famílias semeiam grama, arbustos e flores para criar seus próprios jardins.

Até agora já foram construídas seis casas na Bolívia, uma na Argentina, duas no Uruguai e no México será erguida nos próximos dias a primeira no povoado de San Pablo del Monte, no estado de Tlaxcala. Em breve está prevista a construção de 20 casas mais na Argentina e espera-se que o projeto possa seguir sendo adotado em outras comunidades na América Latina. “Cada casa representa um sonho e é sinônimo de mais um sorriso, essa é minha maior satisfação”, concluiu Ingrid. Com informações do Portal Ig.

Salvar o Meio Ambiente: A Última Arca de Noé

http://www.greenpeace.org/brasil/ReSizes/OriginalWatermarked/Global/brasil/image/2007/6/a-arca-de-noe-foi-montada-pela.jpg

Por Afonso Mendes*

Quando o assunto é meio ambiente, muita gente ainda se posiciona de maneira extremista. De um lado, estão os ecochatos, pessoas que gostariam de voltar à idade da pedra lascada e amaldiçoam o progresso sócio-científico-tecnólogico. De outro, estão os pertencentes da velha turma do não-tô-nem-aí, que vislumbram o ambientalismo como prosopopéia.

Com o passar dos tempos, os seres humanos que agridem constantemente o meio ambiente, começam a sofre as conseqüências dessa triste degradação. Regiões com seca ou inundações, problemas respiratórios, poluição sonora e visual, dentre outros. Esquecem que o meio ambiente é uma grande bolha, que os seres humanos estão inseridos. A existência de furações, desastres, está servindo de alerta aos grandes causadores do problema.

Lentamente, o mundo começa a acordar, e perceber que o espaço deve está em perfeito equilíbrio com o homem. Não adianta mais, se criar campanhas altissonantes, é preciso conscientizar e mostrar de maneira científica os estragos que já foram causados ao nosso planeta e o que nos aguarda em um futuro próximo, caso não repensemos nossas atitudes.

Infelizmente no Brasil, ainda não se instalou na mente das pessoas à importância da preservação ecológica. Temos um governo preocupado com isto, e que vem através de encontros e seminários transformando essa realidade. O caminho do desenvolvimento sustentável é extenso. É preciso começar a percorrê-la já, com pequenas atitudes, ou ficar de braços cruzados assistindo de “camarote” a destruição do nosso planeta. E aí, o que vai ser?

* Afonso é Árbitro Profissional, Blogueiro e Estudante.

SESSÃO DA CÂMARA

aovivo2

BLOGUEIRO

AFONSO MENDES

Árbitro de Futebol Profissional; Bacharelando em Direito na UNEB; com extensão em Direitos Humanos na UnB; e Direito Administrativo na ILB (Senado Federal). Um jovem que acredita na renovação dos valores da política.

Para enviar e-mails a Afonso Mendes, clique aqui.

 
Versículo para você!
TEMPO EM IPIAÚ